Agência Rio de Notícias

terça-feira, 14 de abril de 2009

Soneto do amor total

Amo-te tanto meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te enfim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinícius de Moraes

Um comentário:

Laguardia disse...

Obrigado por seguir o blog Brasil Liberdade e Democracia.

Seus comentários são sempre benvindos.

Precisamos unir esforços para que possamos transformar o Brasil em um país onde os políticos tenham um comportamento ético, honesto e que tratem o povo com dignidade.

Contamos com você nesta luta.

Sociologia no youtube

Loading...