Agência Rio de Notícias

sexta-feira, 4 de março de 2011

Desigualdade

Sabemos que a desigualdade social, econômica, não é um “privilégio” brasileiro, existem muitos outros países no mundo com um “retrato” de sua sociedade bem semelhante ao nosso, repleto de contrastes, disparidades, violência, exclusão, corrupção e demais mazelas.

A distribuição de renda de um país é definida como a partilha do dinheiro e dos demais rendimentos obtidos na produção de bens e serviços pelos vários segmentos sociais de um determinado país.Quanto maior a diferença, a distância entre a faixa mais rica e a mais pobre da população, pior a distribuição…

Muito embora digam por aí que o “quadro social” brasileiro não é mais como em 2002, quando apenas três países africanos tinham quadro social pior que o do Brasil, e que o país não pára de crescer economicamente, não é preciso ser economista, especialista e muito menos sociólogo para compreender e perceber as contradições neste discurso otimista que tem como principal objetivo maquiar a real situação …

Podemos concordar que tivemos avanços em alguns setores, que muita coisa melhorou, mas estes avanços e este “crescimento” só beneficiam o grande proprietário de terras exportador, o grande empresário capitalista, industrial, o investidor, mas as classes de base, o povão, quem precisa de verdade não se beneficia em nada, ou seja, esse crescimento não atinge grande parte da população brasileira que continua na penúria…

A saúde está falida em todo território nacional, totalmente precarizada, basta irmos aos postos, as UPAS no caso do Rio de Janeiro, aos hospitais estaduais etc. que podemos verificar a falta de profissionais da saúde, a inesitência de material dentre outros problemas, muito embora a mídia tente nos passar um “retrato” diferente, denunciando só o que lhes interessa…

A educação cada vez pior em todos os níveis, desde a alfabetização ao nível superior, no Rio estão tentando corrigir a deficiência oferecendo cursos superiores a distância para professores (as) da rede municipal que em sua maioria só possuíam o curso normal, o que de fato não vai adiantar muito, o Estado resolveu criar um plano de metas que não atinge o problema em seu “cerne”, em outros Estados do país a carência/falta de professores é fato, existem casos de professores sem se quer terem concluído o ensino médio lecionando para que as crianças não fiquem sem aulas… A proliferação das escolas particulares faz com que o mesmo ocorra no Rio, conheço escolas “particulares” onde professores sem diploma algum lecionam… e o pior sem um mínimo de preparo para exercer tal função, tão nobre… além disso temos o problema de professores de várias disciplinas lecionando outras diferentes das de sua formação, transmitindo muitas vezes conteúdo de forma equivocada e prejudicando a construção do saber dos educandos já bombardeados e alienados pela mídia manipuladora… o “surto” das faculdades particulares sem qualidade, interessadas apenas em fornecer um “diploma” e lucrar é preocupante, e prejudica as que já existiam e possuíam uma conduta séria…

O desemprego, embora digam nos telejornais que os níveis não param de decrescer é uma triste realidade…

A corrupção, o descaso do povo para com essa “doença” é hábito ( vide Comissão da reforma política na Câmara reúne Maluf e mensaleiro), o povo esqueceu do Collor, esqueceu do Sarney, que pela quarta vez foi eleito presidente do Senado, também pudera, o que esperar de um povo que não consegue discernir a diferença entre executivo e legislativo?

O que fazer? Tentar “abrir” os olhos da grande massa de manobra, alienada, contudo feliz?

Como já disse alguém um dia “ quem não conhece o passado , não entende o futuro".

Para começar é preciso que todos e todas compreendam que o processo de estruturação do que se “configurou” como sendo a sociedade brasileira já começou a se “formar” repleta de mentiras, ac0rdos e jogos, como nos disse Cazuza "A pagar sem ver / Toda essa droga / Que já vem malhada/Antes de eu nascer..."

Uma colonização de exploração , uma independência “combinada”, uma república “fake”, uma sucessão de fracassos, "a política do café com leite" que hoje tem sua face "moderna" ou "pós moderna", o Estado Novo que conjugou autoritarismo político e modernização econômica, sob um pano de fundo nacionalista e fascista, um milagre, uma ditadura, um Impeachment, um presidente do "povo", um povo desmobilizado e desmotivado, desmoralizado, heróis manipulados e corrompidos, o que esperar?

Peço desculpas pelas "asneiras"...

Nenhum comentário:

Sociologia no youtube

Loading...