Agência Rio de Notícias

quinta-feira, 18 de março de 2010

Rousseau – A origem da desigualdade entre os homens – DISCOURS SUR L’ORIGINE DE L’ INÉGALITÉ PARMI LÊS HOMMES ET SI ELLE EST AUTORISÉ PARA LA LOI NATU

Rousseau – A origem da desigualdade entre os homens – Discours sur L’origine De l’ Inégalité Parmi lês Hommes Et Si Elle Est Autorisé Para la Loi Naturelle


“Um estado em que , todos os cidadãos privados, conhecendo-se entre si,, nem as manobras obscuras do vício, nem a modéstia da virtude pudessem subtrair-se aos olhares e ao julgamento do público e em que esse doce hábito de se ver e de se conhecer fizesse do amor da pátria o amor dos cidadãos, antes que aquele da terra”.


“Quisera ter nascido num país em que o soberano e o povo só pudessem ter um único e mesmo interesse, a fim de que todos os movimentos da máquina tendessem sempre unicamente para a felicidade comum. Como isso só poderia ser feito se o povo e o soberano fossem a mesma pessoa, segue-se que eu gostaria de ter nascido sob um governo democrático, sabiamente moderado”.

“Quisera, pois, ter almejado que ninguém no Estado pudesse dizer-se acima da lei e que ninguém, fora dele, pudesse impor alguma que o estado fosse obrigado a reconhecer porque qualquer que possa ser a constituição de um governo, se nele houver um só homem que não esteja submetido a lei, todos os outros ficam necessariamente à discrição desse e , se houver um chefe nacional e outro estrangeiro, qualquer que seja a divisão da autoridade que possam fazer, é impossível que ambos sejam bem obedecidos e que o Estado bem governado.”

“ Não quisera ter habitado numa república de nova instituição, por melhores que fossem as leis que pudesse ter, de medo que o governo, constituído de outra forma, talvez que não a exigida pelo momento, não convindo aos novos cidadãos ou os cidadãos ao novo governo, o /estado ficasse sujeito a ser abalado e destruído quase desde seu nascimento porque a liberdade é como esses alimentos sólidos e suculentos ou como esses vinhos generosos, próprios para nutrir e fortificar os temperamentos robustos a eles habituados, mas que oprimem, arruínam e embriagam os fracos e delicados que a isso não estão afeitos.”

“ Uma república numa palavra que não tentasse a ambição de seus vizinhos, e pudesse razoavelmente contar com o socorro deles quando necessário.”

Nenhum comentário:

Sociologia no youtube

Loading...