Agência Rio de Notícias

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

O que é Wormholes???

Estou realmente sem nada para fazer rsrsrsrs, quer dizer,coisas pra fazer eu tenho, porém existe algo chamado preguiça de fazer-se o que é necessário, por que será que isso acontece? escrever sobre coisas que não possuem grande utilidade pra mim, tudo bem blz, eu escrevo, mas terminar minha monografia, nem pensar, prefiro ficar deitada assistindo ao discovery ou a HBO rsrsrsrs...
bom um assunto que anda me intrigando muito, e que me deixou muito curiosa foi a possibilidade de poder-se construir, ou até mesmo de já existirem estes tais wormholes, você sabe o que é? pois é até ontem eu nem fazia idéia, concerne em um tema quase que exclusivo da ficção científica e da física, física quântica, muito embora alguém que cursa ciências sociais se interesse não se trata de algo de sua alçada rsrsrs.
Os wormholes (tradução à letra: buracos de verme) é um atalho hipotético que liga duas regiões de um espaço-tempo (ou hiperespaço). Contém duas entradas que designadas por bocas, ligadas por um túnel, cuja circunferência mínima se chama garganta. É possível visualizar um wormhole através de um diagrama de imersão, que idealiza um espaço-tempo com apenas duas dimensões espaciais segundo o Dr. Francisco Lobo do Centro de Física Nuclear da UL.
É muito frequente os escritores de ficção científica considerarem buracos negros para viagens interestelares rápidas. Imaginam viajantes intrépidos lançando-se num buraco negro e encontrando-se subitamente numa região distante do Universo. No entanto, podem levantar-se objeções muito sérias às viagens interestelares através de buracos negros...
Em primeiro lugar, as forças de maré na vizinhança do buraco negro podem produzir acelerações tão grandes que esmagariam qualquer viajante, comprimindo-o transversalmente e esticando-o na direcção longitudinal. Em segundo lugar, a fronteira do buraco negro, conhecida por horizonte de acontecimentos, pode ser considerada como uma "membrana" com um só sentido, através da qual os objetos entram mas estão impossibilitados de sair. Logo, uma viagem nos dois sentidos é estritamente proibida.
Os físicos têm sido bastante céticos em relação aos wormholes desde a sua formulação. Entretanto, deu-se um renascimento desta ideia em finais da década de oitenta, parcialmente devido a um desafio lançado por Carl Sagan a Kip Thorne, sobre a possibilidade real de viagens interestelares rápidas, idéia utilizada no seu livro Contato, que deu origem a um filme com o mesmo nome.
Foram encontradas soluções das equações de Einstein (que são habitualmente usadas em cálculos no âmbito da Relatividade) que apresentavam algumas características peculiares. Nomeadamente, a matéria que constitui o wormhole tem uma massa negativa. Diz-se, por vezes, que esta matéria é "exótica" porque viola algumas condições de energia que são fundamentais para alguns dos teoremas da Relatividade Geral. Aparentemente, as leis da física clássica proíbem massas negativas, mas a física quântica prevê a sua existência violando, consequentemente, algumas destas condições de energia. será que uma civilização infinitamente avançada poderia construir um wormhole para realizar viagens interstelares? Será que as leis da física permitiriam a construção de wormholes e a consequente mudança topológica (ou seja, da geometria do Universo) associada? São assuntos que continuam a ser alvo de uma investigação muito intensa, embora existam muitas dificuldades.
Thomas Roman, um outro estudioso deste assunto, oferece outra perspectiva interessante. Ele considera a formação de um wormhole na altura do Big-Bang através de uma flutuação quântica que se expandiu exponencialmente no período da inflação do Universo, atingindo dimensões clássicas. Qualquer esperança de construir um wormhole depende da futura descoberta de matéria exótica. Mesmo se um campo exótico estivesse disponível, existem outras dificuldades, nomeadamente: a possibilidade da mecânica quântica proibir uma mudança topológica do espaço-tempo; os wormholes poderão ser altamente instáveis; e a matéria exótica poderá interagir fortemente com a matéria normal, o que impedirá uma travessia.
Outra consideração assombrosa acerca dos wormholes é a sua possível utilização como uma máquina do tempo, embora isso violasse aparentemente a causalidade, ou seja, o fato de que o efeito precede a causa. Consequentemente, surgem alguns paradoxos muito difíceis de resolver.
As viagens ao passado ou mesmo a mera possibilidade de enviar sinais para trás no tempo abrem uma verdadeira caixa de Pandora de quebra-cabeças e paradoxos.
Em conclusão: apesar de todas as dificuldades apresentadas, não existe qualquer prova irrefutável que proíba a existência de wormholes como soluções das equações de Einstein da gravitação. De modo que não nos resta senão admitir os wormhole transitáveis no espaço-tempo como uma possibilidade real. será?????

Mas sim, blz ,entendi doutor, mas no que consiste esta tal matéria exótica????

Nenhum comentário:

Sociologia no youtube

Loading...